Atividades físicas e prevenção ao câncer de mama

Câncer de mama e atividades físicas

O câncer de mama é um dos cânceres mais comuns entre as mulheres. O estudo Inequalities in the Burden of Female Breast Cancer in Brazil analisou a incidência da doença no Brasil e constatou que, em 27 anos, houve um aumento de 40% nos casos. O número de mortes ficou estável.

Apesar de fatal, quando descoberto no início, as chances de cura são de 95%. Por isso, temos o Outubro Rosa, com a finalidade de incentivar a prevenção e o diagnóstico precoce, pois a conscientização ajuda para que vidas sejam salvas.

Além do diagnóstico precoce, alguns estudos afirmam que a prática de atividades físicas pode contribuir para a redução da aparição do câncer de mama. Neste artigo, entenderemos um pouco mais do porquê isso acontece, exames preventivos e mais.

O que é o câncer de mama e como detectar

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), o câncer de mama resulta de uma multiplicação, anormal, de células mamárias. O principal sintoma é a aparição de um nódulo endurecido, fixo e que, na maioria das vezes, é indolor. Outros sintomas também incluem: endurecimento da mama, mudança brusca na pele, saída de líquido do mamilo e etc.

É importante salientar que algumas mudanças podem ser normais do ciclo hormonal feminino como a alteração no tamanho das mamas e um possível aparecimento de nódulo. Porém, elas são temporárias e desaparecem após o período de menstruação.

Por isso, é importante a mulher estar atenta. Além da mamografia, os médicos também orientam sobre o autoconhecimento da mama, que é uma forma da pessoa entender as alterações comuns para diferenciar o que é normal do que não é em seu corpo. Assim, é possível identificar melhor a hora de buscar ajuda.

Como atividades físicas podem ajudar a prevenir o câncer?

Atividades físicas e câncer de mama

Uma pesquisa feita por instituições americanas e brasileiras em conjunto com o Ministério da Saúde constatou que cerca de 12% das mortes de brasileiras por câncer de mama teriam sido evitadas caso as vítimas praticassem atividades físicas.

Em resumo, o estudo enumerou as vítimas do câncer de mama de 1990 até 2015 e cruzou dados sobre índice de sedentarismo no país com outras pesquisas feitas a respeito da probabilidade de pessoas ativas desenvolverem câncer de mama em comparação com pessoas inativas.

A relação encontrada para a diminuição da incidência de câncer de mama e exercícios está no fato de que as atividades físicas são capazes de regular a produção de hormônios, como o estrogênio. Ele é responsável pela multiplicação das glândulas mamárias e se uma dessas é defeituosa, ele ajuda a replicação da mesma e estimula o câncer.

+ LEIA MAIS: CrossFit em casa: plano de treino e exercícios para emagrecer

A Organização Mundial da Saúde (OMS) classifica pessoas sedentárias como aquelas que não praticam pelo menos 150 minutos de atividades físicas na semana. Esse número pode ser uma caminhada de meia hora em cinco dias, o que segundo o estudo, já é o suficiente para ajudar a salvar vidas.

Exames de rotina para detectar o câncer de mama

O autoconhecimento da mama é um bom meio de identificação do tumor, porém, a partir de exames é possível detectar o câncer até mesmo antes do surgimento de nódulos, o que aumenta as chances de cura. Veja alguns exemplos:

Mamografia

Sem dúvidas, este é o exame mais conhecido para a prevenção do câncer de mama. Em resumo, ele é uma espécie de radiografia e é capaz de localizar sinais precoces da doença, antes mesmo do aparecimento de nódulos palpáveis.

A mamografia pode ser realizada a partir dos 35 anos, idade em que os médicos recomendam as primeiras avaliações para ter uma base de comparação no futuro. Dos 40 aos 50 anos, o médico determina a frequência do exame, já dos 50 aos 69, o ideal é realizar o procedimento a cada dois anos.

Ultrassom das mamas

Esse tipo de ultrassom trabalha com ondas sonoras de alta frequência que proporcionam imagens da estrutura interna das mamas. Com ele, é possível verificar a presença de nódulos, cistos, secreções e afins. Ao contrário da mamografia, este exame pode ser realizado em pessoas mais jovens.

Para mulheres que nunca tiveram problemas nas mamas, o ideal é realizar o ultrassom uma vez por ano a partir dos 25 anos. É importante reforçar que o ultrassom mamário não substitui a mamografia. Os dois exames podem se complementar e ajudar o médico a detectar o câncer.

Outros hábitos que ajudam na prevenção contra o câncer de mama

Outubro Rosa

Além da relação do câncer com as atividades físicas, a pesquisa também concluiu que 6,5% dos óbitos pela doença são ocasionados por consumo de bebidas alcoólicas, sobrepeso e exagero no consumo de açúcar.

Nossos hábitos impactam diretamente em nossa qualidade de vida, por isso devemos nos atentar a eles. Quanto mais tivermos consciência, mais vidas poderão ser salvas. Se cuide.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Newsletter

INSCREVA-SE E RECEBA CONTEÚDOS EXCLUSIVOS!

Entre em contato pelo Whatsapp